Mariana e os gatos

Faz tempo que eu não conto mais as peripécias do meu gato e do seu “companheiro de aventuras”. Então, vou dar uma visão geral da situação atual que a gente presencia cotidianamente.

Em primeiro lugar agora o gato do vizinho tem nome: Jack. Meu vizinho (que também tem nome, mas pela preservação da sua identidade, continuará sendo “meu vizinho”) me informou durante uma mini-visita agradável.

Mas aqui em casa o Jack é o vulgo Fernando. Isso em função da semelhança dos hábitos noturnos dele e do Elvis com os do meu avô e do Fernando. Deu pra relacionar né?

Então, todo mundo já está infomado, vamos ao episódio que nos trouxe a este post:

Semana passada eu acordei de manhã, abri a janela e fui até a cozinha. A casa estava inteira fechada. Eu fiquei na cozinha durante uns 15 minutos e então eu olho o Jack entrando despudoradamente na cozinha (vindo da sala). Eu penso: Ué, pela cozinha ele não entrou antes! E fui verificar se a janela da sala estava fechada mesmo. Estava. E aí eu chego a dedução: ele entrou pela janela do meu quarto, atravessou a sala e chegou na cozinha! E fiquei abismada: tudo isso sem o Babão notar (nosso cachorro; sim a gente tem um mini-zoo aqui em casa). Na verdade fiquei aliviada com isso: o Babão é um cachorro medroso e cagão, mas como o Jack morre de medo dele, ele se aproveita para assustar o bichinho.

Mas a grande verdade é que o Jack tá se sentindo muito à vontade aqui em casa, e eu tô adorando. Tô com aquele sentimento de mãe dona, sabe? Querendo cuidar, fazer carinho, prender em casa!

DSC00733

E aí, pra terminar esse post, um pedaço do livro Alice:

“Gatinho de Cheshire”, começou, bem timidamente, pois não tinha certeza se ele gostaria de ser chamado assim: entretanto ele apenas sorriu um pouco mais. “Acho que ele gostou”, pensou Alice, e continuou. “O senhor poderia me dizer, por favor, qual o caminho que devo tomar para sair daqui?”.

“Isso depende muito de para onde você quer ir”, respondeu o Gato.

“Não me importo muito para onde…”, retrucou Alice.

“Então não importa o caminho que você escolha”, disse o Gato.

“…contanto que dê em algum lugar”, Alice completou.

”Oh, você pode ter certeza que vai chegar”, disse o Gato, “se você caminhar bastante.”.

Bem sugestivo, não?

    • Jhu
    • 28 de Julho, 2009

    Os hábitos noturnos do Vovô entrarão para minha biografia. :)

  1. ioaioehaiue, o Fernandão hoho
    É, surpreendente a história *-* OJODPJOAISD’

  1. No trackbacks yet.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: